Impressora de Comida

A primeira forma de impressão aconteceu em meados dos anos 30 pelas mãos do inventor norte-americano Chester Carlson. O surgimento de impressoras comerciais (aquelas que usamos em casa) popularizou a utilização deste importante periférico no dia a dia de qualquer usuário.

Depois da impressora de jato de tinta e a laser, entre outras, a última tendência para esse tipo de equipamento é a tecnologia 3D.

Bem diferente dos exemplos (bonecos, brinquedos, joias e próteses mecânicas) apresentados neste último artigo, o designer brasileiro Marcelo Coelho teve a ideia de criar uma impressora 3D para comidas. Já imaginou como seria prático mandar imprimir uma refeição completa, com direito a sobremesa, com o clique de um botão? Assim é fácil de tornar um chefe de cozinha de mão cheia!

Automatizando sua cozinha.

Fonte da imagem: Cornucopia

Gastronomia digital

Chamado de Cornucopia, o projeto desenhado pelo brazuca e seu amigo israelense Amit Zorandurante especialização no Massachusetts Institute of Technology conta com três conceitos de aparelhos que englobam as mais variadas atividades culinárias dentro de uma cozinha. A combinação destes equipamentos torna o processo de mistura de ingredientes, transformação física dos compostos (como aquecimento, resfriamento ou cozimento) e modelagem estética das refeições mais prática, eficiente e agradável.

Digital Fabricator

O Digital Fabricator é a impressora 3D propriamente dita. Ele armazena os ingredientes em cápsulas na parte superior da máquina (tem a mesma função que os cartuchos de tinta das impressoras comuns) e os cabeçotes – localizados mais abaixo – suga os compostos, mistura-os seguindo as instruções da receita e molda o alimento em camadas em três dimensões.

Prepare seu jantar com uma exatidão excepcional.

Fonte da imagem: Cornucopia

Sua conectividade com a internet possibilita que o usuário tenha acesso a informações nutricionais e dados sobre a origem ou qualidade dos produtos, seja avisado sobre a falta de algum ingrediente e, até mesmo, encomende sua reposição em lojas online. A definição de temperatura e umidade de armazenamento, bem como a inserção e compartilhamento de receitas, é feita por meio de um painel com tela sensível ao toque.

Segundo a página de divulgação do projeto, a precisão da combinação dos ingredientes e montagem dos pratos é impressionante, pois atinge até um décimo de milímetro. A exatidão no momento de configuração de valores para os processos de armazenamento e preparação das refeições, também, é algo que dificilmente alcançaríamos com as tecnologias que conhecemos na culinária tradicional.

Robotic Chef

O braço mecânico, denominado Robotic Chef, é responsável pela transformação física ou química dos alimentos (com uma chapa em sua base para aquecer ou cozinhar) e pela manipulação de suas características.

Robotic Chef.

Fonte da imagem: Cornucopia

Este aparelho possui braços robóticos que manipulam alimentos sólidos, como frutas ou carnes, e outros dispositivos (entre eles brocas e seringas) para temperar, comprimir, torcer e alongar os alimentos. Mais uma vez, a precisão das atividades realizadas com este equipamento seria impossível de ser alcançada manualmente.

Virtuoso Mixer

A preparação de sobremesas fica por conta do Virtuoso Mixer, uma máquina com três anéis giratórios que proporciona a mistura de ingredientes de forma sutil e muito específica. Com isso, é possível criar pratos com leves diferenças de sabor e composição.

Virtuoso Mixer.

Fonte da imagem: Cornucopia

Cada “andar” tem oito recipientes. Na camada superior os ingredientes são armazenados, na intermediária eles são misturados e triturados de acordo com a necessidade e, por sua vez, na inferior o resultado é depositado na bandeja.

O Virtuoso Mixer é equipado com sistemas termoelétricos tanto para resfriamento como aquecimento, balanças e sensores de temperatura. Tudo isso para monitorar a quantidade e propriedades dos ingredientes em estoque. A interface da máquina foi projetada para que sua usabilidade seja o mais simples possível, possibilitando que usuários comuns consigam montar pratos elaborados.

Uma pitada de tecnologia

As telinhas do cinema já abordaram uma tecnologia bem parecida com a ideia do designer na produção da Columbia Pictures e Sony Pictures Animation intitulada Tá Chovendo Hambúrguer.

As declarações do Marcelo Coelho indicam que sua intenção não foi criar um novo paradigma de fast-food ou fazer com que as pessoas deixem de ir a restaurantes. Segundo o designer brasileiro, o projeto Cornucopia foi desenvolvido para que a culinária pudesse explorar a criatividade de pessoas comuns, não só dos renomados chefes de cozinha.

As máquinas ainda necessitam de muito aperfeiçoamento e estão em fase de patenteamento. Porém, testes com alimentos sólidos e pastosos já foram feitos e obtiveram resultados animadores. Ainda não se tem previsões de comercialização desta tecnologia, mas acredita-se que ainda precisaremos de alguns anos para ver de perto a impressora de comida.0

Retirado do Site BAIXAKI

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s